Parapercepções de Agendadores e Monitores nas Atividades on-line da OIC

  • Carina Freire
  • Regina Estermann

Resumo

O ano de 2020, em razão da manifestação do vírus COVID-19, trouxe mudanças nas formas de interação entre as pessoas, ocasionando a reorganização dos meios de contato, os quais passaram a ser prioritariamente virtuais. A OIC, adaptando-se ao atual contexto, implementou diversas atividades on-line, possibilitando a expansão da consciencioterapia para outros locais, alcançando inclusive a comunidade internacional. A continuidade da interassistência consciencioterápica nesse novo modelo mobilizou diferentes ações dos voluntários. Neste artigo são analisadas duas áreas em específico – Agendamento e Monitoria – e as repercussões observadas por seus integrantes em relação às parapercepções e efeitos holossomáticos do trabalho. Informa-se também os principais dados estatísticos registrados no período, concluindo-se que a qualificação do parapsiquismo e do senso de grupalidade foram os pontos fortes identificados.

Publicado
2022-10-26
Como Citar
FREIRE, Carina; ESTERMANN, Regina. Parapercepções de Agendadores e Monitores nas Atividades on-line da OIC. Revista Conscientiotherapia, [S.l.], v. 10, n. 11, p. 9-21, out. 2022. Disponível em: <http://www.conscientiotherapia.org.br/index.php?journal=revista&page=article&op=view&path%5B%5D=203>. Acesso em: 21 fev. 2024.
Seção
Abordagens Consciencioterapêuticas